Monozigótico ou dizigótico?

Pares de gêmeos de sexo oposto são sempre dizigóticos, sendo que os gêmeos DZ compõem cerca de 1/3 (33,3%) de todos os nascimentos de gêmeos. A determinação da zigosidade de pares de gêmeos do mesmo sexo pode ser mais problemática. Muitas vezes, a determinação da zigosidade é feita com base com base no exame da placenta e das membranas fetais. A existência de uma única placenta e membrana fetal indicaria um par monozigótico, enquanto os pares dizigóticos teriam duas placentas e duas membranas. No entanto, 1/3 dos gêmeos monozigóticos também se desenvolvem com duas placentas e duas membranas fetais e por isso esse exame não permite uma avaliação definitiva sobre o tipo de gêmeo (monozigótico ou dizigótico).

A decodificação do DNA (exame de DNA) é o melhor método para a avaliação da zigosidade. Amostras de sangue dos gêmeos ou outra forma de amostra física, tais como células da bochecha ou da placenta, podem ser testadas para uma série de marcadores genéticos. A concordância e a diferença entre as amostras são identificadas, e os resultados dos testes são geralmente relatados como uma razão de probabilidade dos gêmeos serem monozigóticos ou dizigóticos. No momento, esse teste de zigosidade é de difícil acesso para a população.

Alternativamente, pesquisas mostram que em cerca de 95% dos casos é possível determinar se os gêmeos são monozigóticos ou dizigóticos comparando suas semelhanças (como cor de cabelo, cor dos olhos, rosto). Pais, familiares e amigos muito próximos, sem dúvida, saberão identificar mesmo diferenças sutis entre gêmeos, mas gêmeos frequentemente confundidos por amigos e professores tem alta probabilidade de serem monozigóticos.

 

* Texto traduzido do site de nosso parceiro Australian Twin Registry (www.twins.org.au)